Cultivando Água Boa

Sempre que posso, procuro assistir o programa Globo Rural,  e domingo passado, 7 de novembro, assisti uma interessante reportagem do excelente jornalista José Hamilton Ribeiro do programa “Cultivando Água Boa”. Este programa, sob orientação e trabalho da Itaipu Binacional, reúne 29 municípios do estado do Paraná. Segundo o Diretor-Geral da Itaipu, o engenheiro-agronomo Jorge Samek, “2/3 do planeta são cobertos por água, sendo que 98% são de oceanos e mar, 1,5% são geleiras, e só 0,5% são águas potáveis.”  Isto é, mesmo o Brasil sendo abençoado com tanta água doce, ela não é tão abundante e sem fim assim. Basta atentar para as estiagens que acontecem todo ano tanto nas Cataratas do Iguaçu e agora do Rio Amazonas. É elogiável o enorme esforço que agricultores, prefeitos e a comunidade do Paraná estão fazendo para reverter todo o dano ambiental.  Após anos de práticas abusivas e erradas no trato com a natureza, agricultores estão reaprendendo a preservar as margens dos riachos e nascentes. Coisas simples, como replantar as árvores nas beiras dos riachos, e cercar as margens das nascentes e dos riachos de suas propriedades. Eles impõe limites aos bois e vacas evitando que nascentes e riachos sequem ou desapareçam do mapa.

Respeitar a natureza é o mínimo que devemos fazer para ter uma vida saudável e sem tantos danos ao meio ambiente.

Para evitar enchentes e ter uma melhor qualidade de vida a cidade de São Paulo deveria abandonar a ideia de canalizar córregos e riachos. Deveria, isto sim, proibir qualquer construção a 100 metros das margens fluviais. Plantar árvores e criar parques com campos de futebol e área de lazer que serviria para frear a velocidade das águas no verão e servir de depósito natural do excesso de chuvas. Deveria também abandonar a ideia dos piscinões, pois acaba atraindo mais lixo, ratos e escorpiões.

Se a ideia do programa “Cultivando Água Boa” fosse adotado nos estados do Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, provavelmente, daqui uns dez anos não teríamos mais secas no Rio Amazonas. Pois muitos agricultores desses dois estados, com a prática de querer cultivar em quase totalidade de suas propriedades não respeitando nascentes e córregos, simplesmente os eliminou do mapa.

Uma hora a natureza vai cobrar a fatura. No Amazonas, no período de estiagem,  já está faltando a reserva dessa água que vinha desses dois estados.

Quem quiser assistir a reportagem pode acessar o link abaixo:

http://video.globo.com/Videos/Player/Noticias/0,,GIM1370086-7823-CONHEA+O+CULTIVANDO+EGUA+BOA,00.html

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: