Programação do Centro Cultural São Paulo – Agosto 2011

Centro Cultural São Paulo – Programação de Música –  Agosto 2011Em agosto a programação musical do Centro Cultural São Paulo segue com suas séries de música erudita, a tradicional Clássicos do Domingo e a série Concerto ao meio-dia que completa quatro anos. Na música popular os shows noturnos acontecem de quinta a domingo e às sextas-feiras há o Show ao meio dia.

Texto de Abertura

Nesta grade de programação os projetos de música vão trazendo artistas consagrados e artistas em ascenção. Na série clássica dominical teremos o internacionalmente consagrado pianista Flávio Varani, no dia 28. O mês conta ainda com a Orquestra Juvenil do Instituto Baccarelli no dia 7, com o duo formado por dois dos mais importantes músicos da atualidade, o contrabaixista Marcos Machado e o pianista Ricardo Ballestero, no dia 14 e o duo de piano a quatro mãos formado por Fernando Corvisier e Fátima Monteiro Corvisier.

Nas terças-feiras, o Concerto ao meio-dia traz um programa sutil com a harpa de Mônica Carmago e a flauta de Rafaela Lopes, no dia 2. A internacional pianista Eva Gomyde, que transita também pela música popular, apresenta no dia 9 um programa com músicas de Gismonti, Pixinguinha e obras próprias.No dia 16 é a vez da Banda Klezmer Brasil apresentar o seu programa com o ritmo delicioso das músicas judaicas. Já no dia 23 é a vez de célebre acordeonista Toninho Ferraguchi e do violonista Rogério Dentello apresentar um programa com obras de Villa-Lobos e obras próprias. Finalizando o mês o quinteto de sopros Chá das 5, formado por mulheres instrumentistas apresenta no dia 30 um programa  com obras de Nino Rota, Jacques Ibert, Debussy, entre outros.
Na série popular Quinta na faixa o mês está dedicado ao gênero Blues com Artur Menezes (dia 4), Celso Salim e Rodrigo Mantovani (dia 11), Power Duo com Adriano Grineberg e Marcos Otaviano (dia 18) e Amleto Barboni e Marcos Ottaviano no dia 25

Nos shows ao meio-dia o destaque é para Roberto Sion, músico de talento reconhecido, ao lado de Itamar Collaço, no dia 19. Mas também há músicos como Roney Giah (dia26), The Sparks (dia 12) e The Gilbertos (dia 5).
Nos shows de sexta à noite (19h) o mês abre com o eletrizante grupo Banda das Velhas Virgens no dia 5. A série segue com a Big Band da Escola Municipal de Música no dia 12, com o Coral da USP, no dia 19 e com o grupo belga Mind Priority, liderado pelo brasileiro José Álvaro.

Os shows dos sábados e domingos abrem com a banda de eletrorock Brollies & Apples no dia 6. No sábado seguinte uma parceria com a literatura traz um show que destaca a música, dança e a poesia da Índia – Poesia dos quatro cantos: noite indiana – com a liderança do sitarista Marcos Santurys, no dia 13.
Neste mês o destaque é para ao Projeto Tessituras, que busca aproximar grandes vozes da música popular e erudita num repertório abrangente. O consagrado cantor Agnaldo Rayol cantará com o renomado cantor das mais importantes temporadas líricas Sebastião Teixeira (dia 20) seguido por Cláudio Nucci e Sandro Bodilon (dia 21), Reanto Braz e Marcos Thadeu (dia 27) e Carlos Navas e Lenine Santos (dia 28).

Na linha da música contemporânea e experimental o Festival de Improvisação que acontecem ao longo do ano com apresentações mensais destaca no dia 14 uma atração internacional com o Duo Baars Henneman (Holanda) formado por Ab Baars (sax tenor, clarinete e shakuhachi) e Ig Nenneman (viola).
Com uma programação intensa a diversidade musical vai ocupando os seus espaços.

Francisco Coelho
Curador de Música 

Dia 20
Agnaldo Rayol e Sebastião Teixeira

Dia 21
Cláudio Nucci e Sandro Bodilon

Dia 27
Renato Braz e Marcos Thadeu

Dia 28
Carlos Navas e Lenine Santos

Brollies & Apples
Frase: Orgia Organizada é um show de eletrorock com influências de punk, grunge e eletrônico.
Entrada Franca

Dia 7
Nasi & Banda
Frase: O Canto e compositor passa sua carreira a limpo e lança o CD e DVD Vivo na Cena
Ingresso: R$20,00

Dia 12
Big Band da Escola Municipal de Música

Entrada Franca

Dia 13
Marcus Santurys
(Projeto Poesia dos Quatro Cantos (Noite Indiana))
Frase: Nesta oportunidade contará com a participação do sitarista Marcus Santurys e seu grupo de música e dança indiana
Entrada Franca

Música Clássica
 
Clássicos do Domingo
Domingo, 11h30
Sala Jardel Filho
Entrada Franca

Dia 07
Orquestra Juvenil Baccarelli – Regência: Cláudia Fers

Frase: O CCSP, numa parceria com o Instituto Baccarelli, abre espaço em sua temporada para os novos talentos brasileiros da música executando obras de Beethoven, Haydn e Danzi.

RELEASE
O programa Orquestra do Amanhã, realizado pelo Instituto Baccarelli, proporciona a crianças e adolescentes o estudo dos instrumentos que compõem o universo de uma orquestra sinfônica, entre eles: violino, viola, violoncelo, contrabaixo, flauta, oboé, clarinete, fagote, trompa, trompete, trombone e percussão.
Apesar de ter sido a primeira atividade realizada com a comunidade em 1996, passou por alterações ao longo dos anos. Em 2003, em paralelo à prática orquestral, foi instituído o chamado ensino coletivo de instrumentos como forma de trabalhar a iniciação em instrumentos com os alunos.
Atualmente, é um programa que oferece aulas coletivas para grupos que estão tomando o primeiro contato com os instrumentos e aulas individuais de aprimoramento, para aqueles que já estão em níveis mais avançados. As aulas teóricas complementam o aprendizado. Também forma grupos de música de câmara como duetos e quartetos de cordas, quintetos de sopros e de metais, orquestra de câmara, grupos de violoncelos e de violas, além de orquestras-escola de níveis infantil, infanto-juvenil e juvenil – método que propicia a prática orquestral desde os primórdios e prepara os alunos para um bom desempenho em grupo, reproduzindo desde cedo o futuro ambiente profissional.

CLAUDIA FERES (regente)
Nascida em São Paulo, Claudia Feres formou-se em composição e regência pela UNICAMP. Após um período em Cincinnati e Chicago, obteve o título de Mestre em música pela Northwestern University (Chicago) sob a orientação do maestro Victor Yampolsky. Estudou com Eleazar de Carvalho, Fábio Mechetti, Henrique Gregori, Teri Murai, Ronald Zollman, Gustav Meier, Robert Gutter e Jorma Panula.
Claudia Feres foi premiada com a medalha de Honra da cidade de Jundiaí pelo seu trabalho como diretora artística da Orquestra Jovem de Jundiaí de 1982 a 1986. Apresentou-se frente à Orquestra Sinfônica de Porto Alegre, Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo, Orquestra Sinfônica Municipal de Campinas, Amazonas Filarmônica, Orquestra Jovem de Brasília, Orquestra Jovem de Campinas, Orquestra de Câmara da UNICAMP, Camerata Fukuda, Sinfonia Cultura, Orquestra de Câmara de Blumenau, Opera Giocosa del Friuli Venezia-Giulia, Northwestern University Orchestra e North Shore Chamber Orchestra.
Em 1987, venceu o concurso para jovens regentes, promovido pela Orquestra Sinfônica de Porto Alegre. Em 1990, participou do 42º Concurso Internacional da Primavera de Praga. De 1991 a 1994, foi regente titular e diretora artística da Orquestra Sinfônica da Universidade Estadual de Londrina. Participou do International Institute for Conductors em Kiev, onde regeu a Orquestra Sinfônica Nacional da Ucrânia.
Claudia Feres foi regente adjunta da Orquestra Sinfônica de Santo André de 2004 a 2006. Foi diretora artística da Orquestra de Câmara de Jundiaí de 1999 a 2003. De 2002 a 2006, esteve à frente da Orquestra Filarmônica de Mulheres no Projeto AVON Women in Concert, apresentando-se no Parque do Ibirapuera, em São Paulo, na Pedreira Paulo Leminsky, em Curitiba e Theatro Municipal do Rio de Janeiro com as sopranos Barbara Hendricks e Kiri Te Kanawa.  Ainda neste projeto, Claudia Feres se apresentou com artistas da música popular, como Rita Lee, Paula Lima, Vanessa da Mata, Margareth Menezes, Milton Nascimento e Daniela Mercury. Idealizadora de vários projetos, entre eles Concertos Matinais (Londrina – PR), Concertos Astra (Jundiaí – SP), “Música e Cidadania” (Jundiaí – SP). De 2008 a 2010 foi professora das classes de Regência da Faculdade Souza Lima. Desde 1997 é diretora artística da Escola de Música de Jundiaí, onde coordena a Orquestra de Câmara de Repertório.
Em 2011, foi nomeada Regente Titular e Diretora Artística da Orquestra Municipal de Jundiaí e regente da Orquestra do Amanhã (Juvenil) de Heliópolis, do Instituto Baccarelli.

PROGRAMA

Ludwig van Beethoven (1770-1827)
As Criaturas de Prometeu, op.43: abertura
Franz Schubert (1797-1828)
Sinfonia nº 8, em si menor, D 759 “Inacabada” (25’)
Allegro moderato
Andante con moto
Edvard Grieg (1843-1907)
Peer Gynt: Suíte n°1, op. 46 Amanhecer
A morte de Aase
A dança de Anitra
No hall do Rei da Montanha
Georges Bizet (1838-1875)
Carmen: Suíte nº 1
Prelude & Aragonaise
Intermezzo
Seguidille
Les Dragons d’Alcala
Les Toréadors
Dia 14
Duo de contrabaixo e piano – Com Marcos Machado e Ricardo Ballestero
Frase: Mostrando as inúmeras possibilidades sonoras entre esses dois instrumentos, os artistas apresentam um repertório minuciosamente preparado para o rico encontro.

RELEASE:
Marcos Machado
O contrabaixista gaúcho desenvolve carreira internacional como solista, professor e músico de câmara. Radicado nos EUA desde 1995, onde é professor de contrabaixo erudito e jazz na University of Southern Mississippi, Marcos Machado é também spalla da Meridian Symphony Orchestra.
Realizou seu doutorado na classe do professor  Michael Cameron, na University of Illinois, tendo passado antes pelo Rabbath International Institute de Paris, onde recebeu o diploma em performance do renomado François Rabbath.
Marcos Machado tem atraído a atenção de muitos músicos, em especial do compositor americano Frank Proto que o descreveu como “brilhante”. Sua performance com a Orquestra Sinfônica de Porto Alegre, com a estréia na América do Sul da Carmen Fantasy, de Frank Proto, foi considerada “espetacular”. Tem feito diversas turnês pela Itália, França, Suíça, Portugal, Alemanha, Inglaterra, Brasil e Argentina como spalla e solista. Apresentou-se no Montreux Jazz Festival (Suíça), Vienne Jazz Festival (França), Victoria Bach Festival (Texas, E.U.A.), Bonneville Chamber Music Festival (Utah, E.U.A.), Northern Lights Music Festival (Minnesota, E.U.A), entre outros.
Desde 2007 tem sido convidado pelo grupo de Câmara Conspirare sob a regência de Craig Hella Johnson, conjunto este nomeado seis vezes ao Grammy. Com este grupo gravou obras do compositor inglês Tarik O’Regan no Music Hall do Troy Savings Bank, em Nova Iorque, pelo selo Harmonia Mundi. O CD—Threshold of Night foi lançado em setembro de 2008 e indicado para dois prêmios Grammy 2009.

Ricardo Ballestero  tem dedicado a sua carreira à arte da colaboração pianística, tendo estudado com dois dos mais renomados pianistas-colaboradores da atualidade, Martin Katz e Dalton Baldwin.  Tem se apresentado em recitais com cantores solistas do Metropolitan Opera, New York City Opera, Houston Grand Opera, Teatro Mariinsky e com membros das sinfônicas de Atlanta, Baltimore, Ópera de Frankfurt, Oslo, OSESP e OSB. 
É Professor-Doutor do Departamento de Música da Universidade de São Paulo, onde leciona Repertório Vocal (canção e ópera)  e Colaboração Pianística. Atuou como professor na Universidade do Colorado-Boulder e realizou recitais, palestras e cursos sobre o repertório vocal de câmara nos EUA (universidades de Indiana e Michigan), na Itália, na Alemanha e no Brasil. 
Ballestero completou o seu Doutorado em Colaboração Pianística e Música de Câmara na Universidade de Michigan. Teve a oportunidade de acompanhar aulas de figuras como Shirley Verrett, George Shirley e Rudolf Piernay e as master-classes de Grace Bumbry, Kiri Te Kanawa e János Starker. Foi integrante do Studio da Houston Grand Opera.

PROGRAMA
Reinhold Gliere
(1875 – 1956)
Tarantella
Frank Proto (1941)
9 Variações de Paganini
Stephan Schafer
 L’Adieu
Claude Debussy (1862 – 1918)
Beau Soir
Erich W. Korngold ( 1897 – 1957)
Garden Scene from the suite Much ado about nothing
Joseph Haydn (1732 – 1809)
Divertimento para cello e piano 

Dia 21
Duo Convisier de piano
– Com Fernando Corvisier (piano) e Fátima Monteiro Corvisier (piano)
Frase: Criado em 1991, o duo de piano apresenta um repertório eclético que flui entre clássicos e a música brasileira contemporânea.

RELEASE
O Duo Corvisier

Foi criado em 1991 e desde então tem-se apresentado com sucesso nas principais salas de concerto do Brasil e do exterior. Durante o período de residência nos Estados Unidos, o duo apresentou-se em inúmeros recitais. Podemos destacar a participação na prestigiosa série de concertos da Fundação Rosa Ponselle em Meriden, Connecticut e em diversos concertos como duo integrante do Greenbriar Consortium – grupo camerístico formado pelos músicos da Orquestra Sinfônica de Houston, Texas. Em 2006, o Duo Corvisier foi o único duo pianístico a representar o Brasil em recital nas Primeras Jornadas Internacionales en Música Latino Americana realizadas em Mendoza, Argentina. Em 2007, durante a palestra recital realizada no Primeiro Encontro de Investigação em Performance promovido pela Universidade de Aveiro, Portugal, o Duo Corvisier apresentou em primeira audição, naquele país, as obras para piano a quatro mãos do compositor Ronaldo Miranda. O repertório do Duo Corvisier é eclético incluindo desde os clássicos até a produção musical brasileira contemporânea.

Fernando Corvisier (piano)

Aperfeiçoou-se no exterior na Ecole Normale de Musique Alfred Cortot em Paris, no New England Conservatory em Boston, na Hartt School of Music e obteve o título de Doctor of Musical Arts pela Universidade de Houston. Vencedor do IV Prêmio Eldorado de Música, gravou com o pianista João Carlos Martins a transcrição de Almeida Prado para dois pianos das Quatro Estações de Vivaldi. Gravou para o selo Eldorado obras de Brahms e Ginastera. Participou de diversos festivais de música no Brasil e exterior como docente e recitalista. Desde 2002 é docente de piano do Departamento de Música da USP.

Fátima Monteiro Corvisier (piano)

Doutora em Música pela Universidade de São Paulo, graduou- se com Medalha de Ouro na Escola de Música da UFRJ. Como recitalista já se apresentou em diversas salas de concertos no Brasil, Estados Unidos e Alemanha. Vencedora do II Concurso Dirk Bovendorp e terceiro lugar no III Prêmio Eldorado de Música, foi solista da OSESP sob a regência de Eleazar de Carvalho. Desde 2004 é docente de piano junto ao Departamento de Música da USP.

PROGRAMA

MOZART (1756-1791)   
 Abertura da  ópera  A Flauta Mágica
SCHUBERT  (1797-1828)  
Fantasia em fá menor, D.940

INTERVALO

RAVEL (1875-1937) 
 Introdução e Allegro
EDINO KRIEGER (1928) 
Sonata para piano a quatro mãos
RONALDO MIRANDA   
Variacões Sérias  sobre um tema de (1948) Anacleto de Medeiros
 Tango

Dia 28
Recital de piano com Flávio Varani
Frase: Brasileiro com grande renome no exterior, destaca grandes clássicos da música erudita.

RELEASE
FLAVIO VARANI (piano)

Nascido no Brasil, iniciou sua carreira de solista aos sete anos de idade. Aos oito anos, tocou com a Orquestra Sinfônica Brasileira, sob a regência do maestro Eleazar de Carvalho. Aos treze anos, foi para Paris como bolsista do Governo Francês. Lá, foi aluno de Magda Tagliaferro e, em seu primeiro concerto, tocou Villa-Lobos, compositor que é uma de suas especialidades.
Aos vinte anos, Varani foi para os Estados Unidos onde reside até hoje. Em Nova York, estudou com Rosina Lhevinne na Juilliard School of Music e com Artur Balsam e Dora Zaslavsky, na Manhattan School of Music, onde ganhou o “Harold Bauer Award”. Entre outros prêmios, foi merecedor do primeiro lugar na “Chopin International Competition” em Mallorca (o que veio a impulsionar sua carreira internacional), do prêmio “Musician of the Year”, da Michigan Foundation of the Arts e, ainda, o de “Melhor Solista do Ano”, pela Associação Paulista de Críticos de Arte. É professor catedrático residente da Oakland University desde o início dos anos 70.
Em sua carreira de concertista, faz turnês por países como França, Japão, Alemanha, Estados Unidos, Canadá, Rússia, Colômbia, Venezuela, Equador e Brasil onde se apresenta em importantes salas como Carnegie Hall, Lincoln Center, Brooklyn Academy of  Music, Moscow Conservatory, Munich Gasteig, Sala São Paulo e os Theatros Municipais de São Paulo e Rio de Janeiro.
Participou de  festivais como: Newport Music Festival, Detroit Symphony Orchestra’s Meadow Brook Festival e Cotignac Festival, na França. Ao longo de sua carreira, tocou sob a regência de importantes maestros, como: Gunter Herbig, Sir Neville Marriner, Semyon Bychkov, Lukas Foss, Eleazar de Carvalho, Eduardo Rahn, Constantin Becker, Roberto Minczuk, Roberto Tibiriçá e Georg Schmöhe.

Há anos, Varani vem se apresentando em turnês pelo Japão como solista, professor e integrante do Gallia Trio (do qual faz parte juntamente com o spalla da Orchestre National de France, Luc Hery e o  violoncelista, Paul Julian ). Atuou, por várias vezes neste país também como  artista convidado do Vienna-Tokyo Ensemble.
De sua discografia constam discos gravados para a Orion Master Recordings (USA) e Maison Dante (França). No Brasil, gravou CD contendo obras de Villa-Lobos pelo selo Paulinas – Comep, que mereceu o  prêmio de “Melhor CD de Música Clássica de 1999” pelo Detroit Music Awards – USA . Em 2 001, gravou nos Estados Unidos, pelo selo Albany, dois CDs intitulados Keyboard Maniac, nos quais interpreta músicas da compositora afro-americana Lettie Bekkon Alston. Em 2002, foi convidado pelo Ministério da Cultura para participar com sua gravação das Danças Africanas (Villa-Lobos) do CD “Negro Clássico” (presença negra na música erudita brasileira), editado pela FUNARTE. Em 2004 lançou o cd “Poulenc” e em 2.005 o cd “Chopin / Beethoven, ambos pela gravadora Master Class.
Integra a “Roster of the Steinway Artists”, honraria que vem sendo concedida a um grupo seleto de pianistas internacionais pela manufatura de pianos Steinway & Sons, desde a sua fundação no século XIX. Nesta lista também estão Guiomar Novaes, Horowitz, Rubinstein, Paderewski e Alicia de Larrocha, entre outros.  Recebeu, em 2004, medalha comemorativa dos 150 anos da companhia em agradecimento pelo trabalho de divulgação dos pianos Steinway em todos os países onde se apresenta.
Flavio Varani foi agraciado em 2001, com o prêmio de “melhor instrumentista clássico” concedido pelo Detroit Music Awards (USA).
Nas temporadas de 2002, 2003 e 2004 apresentou-se no Brasil, Estados Unidos e Japão, países onde fez concertos, recitais e master classes. Com o Gallia Trio apresentou-se no Rio de Janeiro e em cidades do Japão.
Lançou em 2005 nos EUA um álbum duplo contendo a primeira gravação mundial da obra completa para piano do compositor e regente francês Paul Paray, incluindo uma Fantasia para piano e orquestra gravada com a Detroit Symphony Orchestra.
Durante a temporada de 2010/2011 realiza turnês internacionais nos EUA, França, Japão, Canadá, Alemanha e Brasil. Prepara-se para as comemorações de seus 55 anos de carreira profissional, lançando o DVD “Um Pianista no Amazonas” e o novo CD “Debussy / Ravel” gravado no Glenn Gould Studio em Toronto /Canadá.

PROGRAMA

J. P. Rameau (1682 – 1764)
Suite de peças de concerto de cravo (1741)
I- La Livri
II- L’Agacante
III- La Timide (I)
IV- La Timide (II)
V- L’Indiscrete
L. van Beethoven (1770-1827)
Sonata opus 110

Intervalo
 
Maurice Ravel (1875-1937)
Valses Nobles et Sentimentales
C. Debussy
L’ysle Joyeuse
F. Liszt
Valsa Mephisto

Concerto ao meio dia
Terça-feira, 12h30
Sala Adoniran Barbosa
Entrada Franca

Dia 02
Duo Harpa e Flauta
– Com Mônica Camargo (Flauta) e Rafaela Duarte  (harpa)
Frase: Com repertório com obras originalmente escritas para essa formação, e também outras transcrições adaptada, o duo de câmara se apresenta com sonoridade única.

RELEASE

Duo Harpa e Flauta
Release:
Formado  por  Mônica  Camargo  (flauta)  e  Rafaela  Lopes  (harpa),  este  duo apresenta obras  originalmente escritas para esta formação e também transcrições  do  cancioneiro  brasileiro  e internacional. Apresentam  obras  de Donizetti,  Villa-Lobos,  Carlo  Gomes,  Bernard  Andrés,  John  Marson, Pixinguinha, Ibert entre outros.
As  musicistas  conheceram-se  na  montagem  do musical A Bela e A Fera, em cartaz em S.o Paulo no ano de 2009, onde iniciaram este duo camerístico de sonoridade única.

Mônica Camargo
Estudou com Renato Axelhud, Jean-No.l Saghaard e Maurício Florence na Escola Municipal de Música de São Paulo e na Faculdade de Artes Alcântara Machado.
Participou  dos  festivais  de  Campos  do  Jordão,Tatuí,  Mendoza  (Argentina)  e  do  Julius Backer Masterclass, New England (EUA). Foi durante 20 anos flautista da Banda Sinfônica do Estado de S.o Paulo, dos musicais A Bela e a Fera, O Fantasma da Ópera, Miss Saygon e O Médico e O Monstro. É a primeira flautista  solista da Orquestra Sinfônica de Santo André

Rafaela Lopes – Graduou-se  na  Escola  de  Música  da  UFRJ  sob  orientação  de  Wanda Eichbauer.  Participou  de  diversos  festivais  tendo  aula  com  Marisela Gonzales,  Liuba  Klevtzova, Helga Storck, Silvia Braga, Silas Lima, Cristina Braga e Marcelo Penido. Como harpista  convidada  já  atuou  nas  principais  orquestras  do  país  sob  a  regência  de  Isaac Karabtchevsky, Roberto Duarte, Lígia Amadio, Karl Martin,Kurt Masur e outros maestros renomados.  Como  solista  estreou  a  obra  de  Ernst  Mahler,  “La  Harp  Enchantèe”,  no Teatro Municipal do Rio de Janeiro e no Festival Internacional de Verão de Brasília, onde obteve grande  sucesso  de  crítica.  Atualmente é harpista  solista do  Theatro  São  Pedro, em São Paulo.

PROGRAMA

F. J. Nadermann (1781 – 1835)
Sonatina n. 3 para Flauta e Harpa
Allegro
Andantino
Allegretto
Georges Bizet (1838 – 1875)
Minuet da Suite Arlesienne n. 2
Intermezzo da Ópera Carmen
Gabriel Fauré (1845 – 1924)
Pavane Op 50
Sicilienne Op 78
Astor Piazzolla (1921 – 1992)
Oblivion
Pixinguinha (1897 – 1973)
Naquele Tempo
Bernard Andrés
7 pequenas peças para Flauta e Harpa inspiradas no Mar
J. Ibert (1890 – 1962 )
Entr’ act  

Dia 09
Recital de piano com Eva Gomyde
Frase: Com composições que exploram a levada da música popular brasileira, a artista executa músicas de própria autoria e grandes clássicos brasileiros.

RELEASE
Eva Gomyde (piano)
Pianista, arranjadora e compositora, começou a tocar piano aos 3 anos de idade.
Iniciou seus estudos de música clássica na Escola Magda Tagliaferro, onde desenvolveu a tecnica pianística e a interpretação, quando tocou em aulas públicas com a grande mestra pianista Magda Tagliaferro.
Nos estudos de música popular fez cursos de harmonia moderna, orquestração e arranjo com Amilton Godoy(pianista do consagrado Zimbo Trio), com o maestro Ciro Pereira, com o pianista e maestro Nelson Ayres e com o famoso músico e maestro alemão Hans-Joachin Koellreuter.
Fez curso de verão no ano 1992 na Manhattan School of Music em New York.
Baseado nesses estudos e experiências, ela apresenta algumas composições misturando diferentes estruturas harmônicas, como as escalas pentatônicas, em ritmos brasileiros, como é o caso de “Baião Pentatônico”.
“Plural”, CD gravado com vários instrumentos(piano , baixo, bateria, flauta, sax, trompete e percussão) em formação de duo, trio quarteto e quinteto com grandes músicos como Rogerio Botter Maio, Sizão Machado e músicos da internacional Banda Mantiqueira, com ritmos brasileiros e forte acentuação jazzística.
“PIANODUO”, CD gravado em trabalho de duo pianístico com o pianista Carlos Roberto Oliveira, que tem temas dos próprios músicos como também de compositores brasileiros consagrados.
“PIANODUO”, DVD gravado em 2007 com temas brasileiros e forte acentuação jazzística. Fez uma tourné pela Romênia no ano 2008 pela Embaixada Brasileira para divulgar a Musica Popular Brasileira.

PROGRAMA

Eva Gomyde
Baião Pentatonico
Trilha da Paz
Vespeiro
Dom Salvador
Meu caro irmão
Egberto Gismonti
Loro
Eva Gomyde
Meu time
Tema para segunda-feira
Ernesto Nazareth
Escorregando
Pixinguinha/Benedito Lacerda
Um a zero

Dia 16
Klezmer
Frase: Com ritmo contagiante, este espetáculo apresenta músicas do cancioneiro  judaico

RELEASE

Banda Klezmer Brasil
Formada em 1994 por Alexandre Fracalanza Travassos, a Banda Klezmer Brasil é um dos únicos grupos musicais brasileiros especializados em canções ídiche e música klezmer . Desde então vem participando de projetos como Arte nas Ruas, patrocinado pela Secretaria de  Cultura do Município de São Paulo, Encontro de Música  Étnica, no Museu de Arte de São Paulo – MASP, entre outros.
Já se apresentou em diversas instituições judaicas paulistas, como A Hebraica e B’ nai B’rith, e tem o seu público cativo. Lançou seu primeiro CD em fevereiro de 2000.

Alexandre F. Travassos (clarinetista, diretor musical e arranjador)
Clarinetista, chefe de naipe da Orquestra Experimental de Repertório desde 2001, também exerce intensa carreira como compositor e arranjador, tendo ganhado vários prêmios no Brasil e no exterior com suas obras. Foi clarinetista e transcritor/compositor da Banda Sinfônica do Estado de São Paulo.
Em 1994, cria o primeiro grupo klezmer do Brasil, culminando na produção do CD Mishmash à brasileira onde compõe músicas que fundem estilos brasileiros e klezmer.

Sonia Goussinsky (cantora)

 Especializada em Música Antiga e no Cancioneiro Judaico, principalmente em ídiche, repertório da sua atual pesquisa de Doutorado “A canção Ídiche no Brasil – Registro e memória” na USP. Leciona  na Faculdade de música e no Conservatório da FITO (Osasco) e no Musicalis Núcleo de Música (São Paulo). Mestre pelo Trinity College of Music (Londres), e pós-graduada em Música Antiga pela Guildhall School of Music and Drama (Londres). Aperfeiçoou-se em Música Barroca no Conservatório Darius Milhaud (Aix-en-Provence).

Tania Frenkiel Travassos ( tecladista)
Trabalha há mais de 14 anos em diversas escolas de São Paulo como regente e educadora musical.
Participou da criação do Pirchei (coral de meninos) do colégio Iavne.  Tem sido diretora musical de cerimônias de bat mitzva de várias instituições judaicas de São Paulo. Como pianista tem trabalhado em várias sinagogas, com uma  vasta experiência de quase 18 anos.
Participa como tecladista na Banda Klezmer Brasil desde o início de sua criação.

Vicente Falek (acordeonista)
Formado em composição pela FASM em 2006 tem atuado como compositor, arranjador, pianista, acordeonista, professor e produtor.  Se aprofundou em diversos estilos, como o klezmer, tango, jazz, rock, pop, música brasileira e música infantil. Integra o grupo Projeto B, o grupo de Helio Ziskind, o quarteto de Paulo Tiné, o grupo Tango a Mano que acompanha cantora Cecila Aimé e o grupo Fale com Pimenta. Já gravou diversos discos, onde hora atua como instrumentista, hora como arranjador e por vezes também como produtor.

Beto Birger ( baixista) 
Baixista, produtor e compositor. Trabalhou com diversos artistas de MPB e grupos de rock, pop, jazz, reggae etc , participou de mais de 20 CDs, produziu diversas trilhas para video e programas de TV no Brasil e nos EUA. Professor do Centro de Musica da Hebraica, socio do estudio de gravação e produção musical “Loop”
Guilherme Marques (percussionista) 
Iniciou seus estudos como autodidata em Curitiba, sua cidade natal, aos 14 anos. Tornou-se bacharel em música popular pela UNICAMP, onde estudou com Lílian Carmona. Participou de festivais em Curitiba, Brasília, Tatuí e Campos do Jordão. Toca no grupo Comboio, com o qual gravou os discos “Sarado” e “Comboio”, no quarteto À Deriva, com o qual gravou os discos “à deriva”, “à deriva II” e “Suíte do Náufrago”. Forma junto com Celio Barros e Emílio Mendonça o trio de música improvisada Triozz, com o qual gravou um disco. Tocou na primeira formação do GRUPU – grupo de percussão da Unicamp – sob orientação de Fernando Hashimoto.

PROGRAMA

Canções Tradicionais judaicas
Doina
Az Der Rebe Elimelech
Di Krenitse
Der Heiser Bulgar
H. Yablokoff – Papirossn
Araber Tantz
Chiribim
Klezmer Medley
S. Secunda – Bai Mir Bistu Schén
Tumbalalaika
A. Lebedeff – Rumenie, Rumenie

Dia 23
Duo de violão e acordeom
– Com Rogério Dentello (violão) e Toninho Ferragutti (acordeom)
Frase: Em um encontro raro, o duo de violão e acordeom executam clássicos da música brasileira em sonoridade singular.

RELEASE

Rogério Dentello (violão)
Rogério Dentello voltou a morar no Brasil em 2007, depois de 10 anos entre Itália e Alemanha. Dentello estudou música popular com Paulinho Nogueira e Ulisses Rocha. Sua graduação na área clássica foi obtida na Escola Municipal de Música de São Paulo e na Universidade São Judas Tadeu.
Em sua estadia de 3 anos na Itália, aprimorou sua técnica instrumental no Conservatório de Viterbo. Mais tarde transferiu-se para a Alemanha. Obteve lá o título de Mestre em Composição pela Escola Superior de Música de Colônia (Musikhochschule Köln).
Após a primeira turnê pela Europa (1990), gravou seu primeiro disco intitulado Luzes & Lendas, que depois foi relançado nos Estados Unidos pela Brazilian Music Enterprises.
Sua relação com a Europa manteve-se constante, com turnês anuais. Em Roma gravou o seu segundo CD, Aquarela do Brasil (1996), e mais tarde no Brasil gravou o terceiro CD Janela para o Brasil (1999).
Obteve diversas vezes o apoio cultural do Governo Brasileiro para eventos em Embaixadas e Consulados do Brasil (Roma, Frankfurt, Berlim, Colônia, Tóquio, Dublin, Paris). Em Tóquio chegou a se apresentar na Residência da Embaixada, onde estavam presentes senadores japoneses e um membro da família real.
Na Alemanha gravou seu quarto CD intitulado Águas (2002), com suas composições para diversas formações instrumentais. Seu novo CD de violão solo, Bach etc. (2008), contém obras de J.S.Bach, H. Villa-Lobos, Paulinho Nogueira e composições próprias.
Em sua atividade como compositor tem recebido encomendas do Brasil e da Europa. Duas de suas obras para orquestra de cordas foram estreadas no Brasil pela Camerata Florianópolis.

Toninho Ferragutti (acordeom)

Toninho Ferragutti é músico, compositor e arranjador e possui uma extensa participação em shows e em cds de artistas importantes no Brasil e no exterior. Seu cd Sanfonemas, foi indicado ao Grammy Latino no ano 2000 como melhor cd de musica regional e o seu mais recente cd solo, Nem Sol nem Lua esteve na opinião de diversos críticos entre os 10 melhores cds de musica instrumental do ano de 2006. Alem do seus shows com seu trabalho autoral, vem no momento atuando em shows da Orquestra de Maria Schneider (usa), Celine Rudolf (alemanha), Maria Bethania, Monica Salmaso, Gilberto Gil, Zizi
Possi,Trio 202 , Edu Ribeiro, Jovino Santos Neto entre outros.
Não foram poucos os músicos que se dedicaram ao acordeom. Muitos deles tornaram-se virtuosos no instrumento, além de criarem um repertório fundamental que enriqueceu a MPB. Toninho Ferragutti é um destes exemplos. Músico, compositor e arranjador, desde cedo escolheu este instrumento como ferramenta de inspiração e construção de uma bem sucedida carreira. Seus primeiros acordes nasceram em Socorro, no interior do Estado de São Paulo, sua cidade natal. Foi incentivado em casa pelo pai, Pedro Ferragutti, também músico saxofonista e compositor de valsas, choros, dobrados e marchas. O complemento dos estudos se deu nas rodas de choro, grupos de baile, grupos de música gaúcha e gafieiras, além da formação acadêmica no Conservatório Gomes Cardin, em Campinas, acrescentada de aulas particulares de acordeom, com Dante D´Alonzo, e harmonia, com Claudio Leal Ferreira.
Antes de se profissionalizar, Toninho Ferragutti cursou três anos de veterinária na UNESP de Botucatu, curso que abandonou no último ano para se mudar definitivamente para São Paulo, em 1983. Este período marca o início de sua carreira como músico profissional. Apresentou-se em programas de televisão; participou de gravações de discos e gravações de trilhas para cinema, novelas; e esteve presente em shows e gravações de CDs de grande parte dos artistas da MPB como: Gilberto Gil, Edu Lobo, Antonio Nóbrega, Elba Ramalho, Mônica Salmaso, Geraldo Azevedo, Zé Ramalho, Chico Cesar, Sivuca, Dominguinhos, Oswaldinho do Acordeom, Lenine, Paulo Moura, Marisa Monte, Elza Soares, Dory
Caymi, Joyce, Nelson Ayres, Nico Assunção, Hermeto Paschoal, Lenine, Elza Soares, Grupo Corpo, Mario Adnet, Proveta, ), Maira João e Mario Lajinha (Portugal)
Seigen Ono(Japão), Antonio Placer(França).
Participou e vem participando de diversas orquestras sinfônicas como a OSESP(Orqestra Sinfônica doEstado de São Paulo), Orquestras Jazz Sinfônica de São Paulo, Orquestra Petrobras Pró-musica, Orquestra de Câmera da Universidade da Paraíba, Orquestra Sinfonica do Recife, sob a regência de Claudio Cruz, Ciro Pereira, Nelson Ayres, Wagner Tiso, Isaac Karabichevsky, João Maurício Galindo , Carlos Anísio e Osman Gioia e vem interpretando toda obra escrita pelo compositor e Acordeonista Sivuca para esta formação.
Vem participando de importantes festivais de jazz na Europa e U.S.A como a Orquestra da Maestrina e compositora americana Maria Schneider(U.S.A), Monica Salmaso(Brasil), e Celine Rudolph (Alemanha).
Toninho Ferragutti gravou os CDs
– Oferenda – eldorado Japão 1996 – em duo com Roberto Sion
– Sanfonema – Pau Brasil – 2000 – solo – indicado ao Grammy Latino 2000
– Forrobaby – MCD – 2005- CD infantil – Nem Sol, Nem Lua – Biscoito Fino – Acordeom e quinteto de cordas – indicado ao Prêmio TIM de melhor CD de música instrumental 2006 – Trio 202 – Azul Music 2007 com o Nelson Ayres (piano) e Ulisses Rocha (violão). Ao vivo, na jazz Standart de New York, e no Tom Jazz de São Paulo

PROGRAMA
Heitor Villa-Lobos
Bachianas Brasileiras N.5
Rogério Dentello
Valsas Brasileiras n.1
Prelúdio (Suíte TnT)
Brincadeira N.4 (Suíte TnT)
Go Home
Luzes & Lendas
Doce de Leite
Milton Nascimento
Catavento
Rogério Dentello
Preludinho
Quando você disse que vinha
Toninho Ferragutti
Nem sol, nem lua
Na sombra da Asa Branca
Victoria

Dia 30
Chá das 5
Frase: Quinteto formado por mulheres leva o refinamento e liberdade musical através de um repertório eclético e rico, e com a expressividade dos instrumentos de sopro.

RELEASE – O quinteto formado apenas por mulheres, possui compromisso com a qualidade, refinamento e liberdade musical, sem perder a graciosidade das instrumentistas.
Tem como objetivo levar ao conhecimento do público toda a riqueza de timbre, expressividade e versatilidade da família dos instrumentos de sopro: flauta, oboé, clarinete, trompa e fagote.
Com composições e transcrições, o Quinteto Chá das 5 apresentará um repertório eclético e inovador, partindo de peças tradicionais da música erudita de compositores como Mozart, Debussy chegando a compositores populares brasileiros como Pixinguinha, evidenciando sempre o compromisso com o prazer, a alegria e a liberdade musical.
O quinteto é formado por:

Mônica Camargo  (flauta)
Flautista da Orquestra Sinfônica de Santo André. Estudou na Escola Municipal de Música de São Paulo e na FAAM sob a orientação de Jean-Nöel Sagaahrd, Renato Aksehud e Keith Underwood. Participou de cursos de férias em Tatuí, Campos do Jordão e Mendoza ( Argentina). Foi flautista da Banda Sinfônica do Estado de São Paulo e dos musicais A Bela e a Fera, O Fantasma da Ópera, Miss Saigon e “O Medico e o Monstro”. Lecionou nas Faculdades Metropolitanas Unidas e na Fundação das Artes de São Caetano do Sul.

Giane Martins  (oboé)
Oboísta e corne inglês do Teatro Municipal de São Paulo. Obteve o Bacharelado em Oboé pela USP, e pós-graduação artística (Künstlerische Aufbaustudium) em oboé na “Escola Superior de Música e Artes Dramáticas de Stuttgart”, Alemanha, na classe do renomado solista Prof. Ingo Goritzki. Participou de cursos e masterclasses com vários professores internacionais. Foi oboísta e corne inglês dos musicais “Les Miserables”, “A Bela e a Fera” , “Miss Saigon” e “O Médico e o Monstro”

Marisa Takano Lui (clarinete)
Spalla da Banda Sinfônica do Estado de São Paulo, integrante do Quarteto de Clarinetes “Claras Clarinetas” e Orquestra Filarmônica de São Bernardo do Campo. Concluiu o bacharelado em Clarinete com os professores Leonardo Righi e Luis Antônio Eugênio Afonso pela USP. Participou de diversos festivais de música e masterclasses com professores renomados internacionalmente. Foi clarinetista do musical “A Noviça Rebelde”.

Brenda Barreto ( trompa)
Natural de em Belém do Pará, participou de vários festivais de música pelo Brasil tais como o Festival Internacional de Inverno de Campos dos Jordão e o  Festival de Música de Santa Catarina. Estudou com Luiz Garcia, Samuel Hamzem, Will Sanders, Radek Baborak, Nury Garnaschelli e Ignacio Garcia. Foi finalista do concurso de metais da Emesp em 2007. Realizou trabalhos com a Orquestra Sinfônica da Universidade de São Paulo e Orquestra Filarmônica de Manaus. Atualmente é trompista da Orquestra Bachiana Filarmônica, foi aceita para ingressar na Buchmann Mehta School of Music em Tel Aviv e realiza seu bacharelado em música com Samuel Hamzem na Faculdade Cantareira.

Nara Martins Flores ( fagote)
Fagotista e contra-fagotista da Banda Sinfônica do Estado de São Paulo, obteve bacharelado em Piano, pela Faculdade de Música Santa Marcelina, SP, com a profª. Dayse Di Lucca. Especializou-se em fagote “Kontaktstudium” na Escola Superior de Música e Artes Dramáticas de Stuttgart, Alemanha, com o Professor Marc Engelhardt. Participou como fagotista de festivais de música e masterclasses com professores renomados internacionalmente.

PROGRAMA
Nino Rota
(1911 – 1976)
Petite Offrande Musicale
Claude Debussy (1862 – 1918) (Arranjo de Gordon Davies)
Petite Suíte
P. I. Tchaikovsky (1840 – 1893)( transcrito por Ryohei Nakagawa)
Three Dances
Jacques Ibert (1890-1962)
Trois Pieces Breves
Pixinguinha (1897-1973)( arranjo de Alexandre Travassos)
Carinhoso

Concerto extra
Sexta-feira, 19h
Sala Adoniran Barbosa
Entrada Franca

Dia 12
Big Band da Escola Municipal de Música
Entrada Franca 

Música PopularQuinta na Faixa – Só Blues
Quinta-feira, 19h
Sala Adoniran Barbosa
Entrada Franca

Dia 04
Artur Menezes
Frase: Quando o Baião encontra o Blues

Dia 11
Celso Salim e Rodrigo Mantovani
Frase: Resultado de uma pesquisa intensa, o duo apresenta releitura para clássicos do Delta Blues

Dia 18
Power Duo
– Com Adriano Grineberg e Vasco Fae
Frase: “O som perdido do Mississipi” – Um tributo ao Delta Blues

Dia 25
Amleto Barboni e Marcos Ottaviano
Frase: O poder do som da guitarra blusera, nua, crua e em dose dupla, das décadas de 1940, 50 e 60.

Show ao Meio-dia no CCSP  – Sintonia do Rock 2011
Completando 20 anos, a série Sintonia do Rock apresenta diversas vertentes do gênero mais popular do planeta.

Sexta-feira, 12h30
Sala Adoniran Barbosa
Entrada Franca

Dia 5
The Gilbertos
Frase: Liderada por Thomas Pappon, ícone do rock alternativo nacional, lança o álbum A noite sonhamos .

Dia 12
The Sparks

Frase: Com 45 anos de estrada, The Sparks faz show com o repertório voltado para a Surf Music Instrumental.

Dia 19
Roberto Sion e Itamar Collaço
Frase: Um encontro descontraído do sopro com o contra-baixo

Dia 26
Roney Giah
Frase: Show Queimando a Moleira do músico brasileiro premiado pela Billboard e John Lennon Contestt, que está conquistando as rádios nos EUA

Sintonia do Rock / 2011 19h
Sexta-feira, sábado, 19h e domingo, 18h
Sala Adoniran Barbosa

Dia 5
A Banda das Velhas Virgens
Frase: A banda das Velhas Virgens – 25 anos de independência
Ingresso: R$20,00

Dia 6
Brollies & Apples
Frase: Orgia Organizada é um show de eletrorock com influências de punk, grunge e eletrônico.
Entrada Franca

Dia 7
Nasi & Banda
Frase: O Canto e compositor passa sua carreira a limpo e lança o CD e DVD Vivo na Cena
Ingresso: R$20,00

Dia 12
Big Band da Escola Municipal de Música

Entrada Franca

Dia 13
Marcus Santurys
(Projeto Poesia dos Quatro Cantos (Noite Indiana))
Frase: Nesta oportunidade contará com a participação do sitarista Marcus Santurys e seu grupo de música e dança indiana
Entrada Franca

Dia 19
Coral USP
Frase: Com o projeto Compositores e Arranjadores Paulistas, o tradicional coral aborda um repertório amplo, do erudito ao popular, passeando entre Guarnieri e Gilberto Mendes.

Dia 26
Mind Priority
Frase: Grupo formado na Bélgica por brasileiros e com músicos de diversas nacionalidades trabalha a fusão do jazz europeu com o suingue brasileiro.
Entrada Franca

Especiais CCSP
Sábados às 19h e Domingo às 18h
Sala Adoniran Barbosa
Entrada Franca

Projeto Tessituras
Um encontro de vozes e linguagens: o erudito e o popular dialogando sem fronteiras.

Dia 20
Agnaldo Rayol e Sebastião Teixeira

Dia 21
Cláudio Nucci e Sandro Bodilon

Dia 27
Renato Braz e Marcos Thadeu

Dia 28
Carlos Navas e Lenine Santos

Festival de Improvisação
A série reúne músicos brasileiros e estrangeiros ao longo do ano em apresentações de improvisação livre, tipo de música que se caracteriza por radicalizar a experiência da improvisação por meio de uma criação coletiva que incorpora elementos da música erudita contemporânea, vertentes do jazz, música folclórica, rock, entre outros. Parte dos espetáculos está inserida na programação regular de música do CCSP; outra parte acontece em dias, salas e horários alternativos, aproveitando as múltiplas possibilidades deste espaço.

Dia 14
Duo Baars Henneman
(Holanda)
Com: Ab Baars (saxofone tenor, clarinete e shakuhachi) e Ig Henneman (viola)
Frase: O duo apresenta improvisações a partir de peças escritas pelos dois músicos misturadas com trechos criados na hora do concerto.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: