Não conte com o ovo na galinha

Os meus avós já ensinavam: “Não conte com o ovo na galinha”, isto é, não faça planos com base em uma coisa incerta. Nós vemos isso em todas as áreas e no esporte não podia ser diferente. Vejamos dois casos:

1 – O Botafogo do Rio de Janeiro era apontado, pelos cronistas esportivos, como um virtual líder do atual campeonato brasileiro, por ter um jogo a menos e dois pontos a menos na tabela do que o atual líder Corinthians. Só que esse jogo a menos era contra o Santos e na Vila Belmiro. Resultado: 2 x 0 para o Santos.
2 – O Flamengo, antes do jogo contra a Universidade do Chile, era apontado como o favorito, “tem o melhor time, joga no Engenhão, etc, etc.” Resultado: o time chileno ganhou de 4×0, se não fosse o apito amigo poderia ter sido 6×0, pois teve um gol legítimo anulado e um pênalti em que a bola entrou e o goleiro do Flamengo tirou de dentro do gol. Isso sem contar que o time chileno simplesmente “tirou o pé”, poderia ter feito muito mais. Quem não tirou o pé foi o jogador Airton, em uma entrada criminosa quase quebrou a perna de um jogador chileno. Não assisti o jogo, estava trabalhando e só ouvi pelo rádio, mas vendo a reprise dos melhores momentos esse jogador não deveria ter sido expulso, deveria ir preso. Cuidado Neymar.

Anúncios

Dia do Goleiro – 26 de Abril

“A idéia de se criar o Dia do Goleiro foi do tenente Raul Carlesso e do capitão Reginaldo Pontes Bielinski, professores da Escola de Educação Física do Exército do Rio de Janeiro, e surgiu na metade dos anos 70”, relata o jornalista Paulo Guilherme, autor do livro Goleiros – Heróis e anti-heróis da camisa 1. Carlesso foi um dos precursores do treinamento específico para os goleiros e trabalhou na comissão técnica da Seleção Brasileira na Copa de 1974, disputada na Alemanha.

Em uma festa realizada no dia 14 de abril de 1975, foi lançada a ideia do Dia do Goleiro para homenagear um atleta que era tão desprestigiado aqui e no exterior. A partir do ano seguinte ficou estipulado o dia 26 de abril como data comemorativa.

Para um país que perdeu a Copa do Mundo de 1950 em pleno Maracanã, pelo excesso de confiança e soberba de todos: comissão técnica, imprensa, torcedores e jogadores. Todavia, a culpa tinha que recair sobre alguém e essa pessoa foi o goleiro Barbosa. Injustamente.

Depois surgiram inúmeros jogadores de talento, classe e segurança. Podemos destacar vários: Castilho, Gilmar, Manga, Carlos, Dida, Marcos e tantos outros. Na minha opinião nenhum foi maior do que Gilmar dos Santos Neves, o nosso herói e único Bi-Campeão do Mundial. Parabéns.